Uma nuvem de gafanhotos vinda do Paraguai adentrou em território argentino, no dia 17 de junho, e se aproxima das fronteiras do Brasil e do Uruguai. Os insetos causaram estrago em lavouras paraguaias no decorrer das últimas semanas. Segundo a projeção divulgada pelo governo da Argentina e confirmada pela Somar Meteorologia, os animais devem chegar ao oeste do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina nos próximos dias

Por preferirem tempos secos e quentes a faixa Oeste do Rio Grande do Sul está em atenção. Em decorrência da previsão de chuva entre esta quarta (24) e quinta-feira (25), a ‘praga bíblica’ não deve chegar em grande número ao estado. Segundo a Somar, a chance de grandes estragos é baixa devido à mudança de tempo. “Se permanecêssemos com ventos de norte e tempo seco por mais dias, poderia chegar”, informou o órgão.

A nuvem de aproximadamente um quilometro quadrado pode conter até 40 milhões de gafanhotos. O engenheiro agrônomo argentino Héctor Medina disse à agência Reuters que os insetos consomem, por dia, o equivalente às refeições de 350 mil pessoas ou 2 mil vacas.