Após o lançamento do último decreto municipal em conformidade com o governo do estado, com medidas mais endurecidas para o cumprimento visando contornar a situação dos números crescentes de casos de covid-19; no município, o comércio sofreu restrições no sistema de funcionamento em todos os setores, inclusive os considerados essenciais a exemplo de açougues e padarias que tiveram os horários reduzidos, gerando assim uma discordância na medida já que alguns mercados possuem serviços de açougue e padaria e foram favorecidos pelo decreto a estender o atendimento com mais tempo em relação aos referidos citados.

De acordo com os grupo de açougueiros e padeiros, o tempo estabelecido pelo decreto municipal é insuficiente para manter o nível de comercialização ativa, prejudicando diretamente o funcionamento, comprometendo a condição de sustentabilidade na permanecia do comércio por falta de vendas no período que não condiz com a realidade de cada ramo, conforme estabelece as medidas impostas.

A categoria solicita a permissão do mesmo tempo cedido aos mercados para que todos possam está em concordância democrática na colaboração das medidas protetivas na luta pela contenção do vírus, mais desde quando haja sacrifício de todos em conjunto.