(AABC) Associação dos Artistas de Barra do Choça  levantou a discussão juntamente com as demais associações do município, referente ao monopólio que se estabelece na rádio comunitária de Barra do Choça a mais de 10 anos, sem abrir espaço para que outras entidades participem do processo para escolha de uma nova diretoria, onde de acordo com a própria ata registrada em cartório, todas as eleições foram realizadas sem qualquer disputa, havendo apenas chapa única, ferindo totalmente a democracia, em que a participação popular deveria estar presente, justamente  por se  tratar de uma associação comunitária, que preside um bem pertencente a toda comunidade.

O Blog da Barra procurou algumas entidades que faziam parte da diretoria, mais que foram descartadas sem nenhuma alegação, nos relataram, que já mais houve convite para  participar de alguma eleição, e que apenas eram solicitadas de suas respectivas assinaturas, supostamente para constar em documento, a formação da diretoria, que durante o período, não participaram de qualquer reunião até mesmo para prestação de contas ou alguma necessidade de requerimento.

Por essas e outras razões a (AABC) Associação dos Artistas de Barra do  Choça em parceria com as demais associações do município, levanta contra o sistema do monopólio que domina a mais de 10 anos, um importante veículo de comunicação, que veio com propósito de servir a toda comunidade, mais que apenas um segmento se apossa, transformando um bem público, em cunho  particular.

Varias reuniões foram promovidas  por meio da (AABC ) com participação de associações e artistas da terra, até o inicio deste ano, para discutir providencias a serem tomadas por meio de ações que possa envolver a comunidade nessa questão, e que haja de fato a democratização,  que ponha um fim no monopólio , onde toda comunidade possa  ser beneficiada com a prestação de serviços no cumprimento do propósito a que veio a rádio comunitária de Barra do Choça.

O Blog da Barra seguirá firme com uma série de matérias, tendo como objetivo buscar pela verdade, para  manter a informação com transparência.