Em mais uma matéria sobre a rádio comunitária de Barra do Choça que vem sendo apresentada por meio do Blog da Barra, tendo como objetivo combater o monopólio que se estabelece a mais de 10 anos, em um veículo de comunicação que veio para servir a todos, mais que apenas um segmento detém  este domínio, utilizando de um bem público para exclusividade particular.

Essa matéria apresenta de acordo com as imagens atualizadas, que foram captadas dia 29 de Agosto de 2020, que além do sistema monopolizado, a rádio comunitária vive em situação de abandono, por falta de gerenciamento na manutenção da estrutura de seu espaço físico, dentre outras necessidades que requerem os cuidados para um bom funcionamento, torre em estado de decomposição pelo ferrugem, fiação solta, cerca elétrica desativada, pintura e placa descolorada pelo tempo e outros desleixos.

Rádio Comunitária de Barra do Choça recebe apoio suficiente, de acordo a quantidade de anunciantes que são veiculados na grade de programação, além de  arrendamentos dos horários para as demais igrejas, menos a católica, Sem qualquer prestação de contas que justifique tal abandono, sua receita de arrecadação mensal supostamente daria para reformar sua estrutura, bem como a parte de equipamentos técnicos  que também não se encontram em boas condições de funcionamento conforme a experiência de quem tem conhecimento no assunto.

A rádio comunitária de Barra do Choça não demonstra interesse em ampliar o atendimento a comunidade em geral, referente a grade de programação plural com mais utilidade, melhor condição para os programadores, agilizar a parte de recepção em que uma pessoa estivesse disponível para anotações de utilidade pública, em fim, são providências dessa natureza que fazem parte do propósito de uma rádio comunitária, quando se tem uma diretoria comprometida em desenvolver com transparência o seu papel.

O Blog da Barra seguirá firme buscando pela verdade e apresentando de fato, a grande necessidade pela democratização da rádio comunitária de Barra do Choça, onde a mais de 10 anos, a maioria da comunidade não tem conhecimento qual é seu verdadeiro propósito.