Após publicar a matéria no dia 08/01/2022, em que o Blog da Barra relatou a manifestação da preocupação de uma Mãe que notou segundo ela, um comportamento estrando de seu filho que teria confessado toda essa diferença por conta de ter confundido um despacho com uma cesta de natal encontrado em uma rua de Barra do Choça,   onde acabou consumindo bebida e farofa, a matéria ganhou uma grande repercussão que provocou vários comentários que chamou atenção de representantes religiosos do Terreiro Raio de Luz, que mediante ao conteúdo da matéria que desencadeou divergência de opinião sendo a maioria interpretada de natureza preconceituosa, decidiram repudiar tais comentários, principalmente  o relato da Mãe, que atribuiu ao ato de oferenda sagrada a diferença problemática no comportamento de seu filho.

O Terreiro Raio de Luz, esclarece aos leigos dessa religiosidade que interpretam essa prática de natureza maldosa com descriminação e preconceito, que o ritual de oferenda já mais busca qualquer ato prejudicial a quem quer que seja.

Oferenda, nas religiões afro-brasileiras, é um sacrifício ritualístico, em que, assim como em outras religiões, os praticantes se desfazem de um bem material em homenagem a um orixá ou entidade espiritual. … Na religião iorubá e no Candomblé, por exemplo, existem o bori, o ebó, o padê e o despacho.

Na oportunidade, o Blog da Barra em consideração ao esclarecimento e respeitosamente a essa crença religiosa, se redime com os representantes do Terreiro Raio de Luz de Barra do Choça, pelo conteúdo da matéria publicada, que gerou por falta de conhecimento, comentários que na realidade não condizem com os atos praticados por essa cultura religiosa ancestral, que tem sua garantia por lei, sendo considerada patrimônio cultural brasileiro IPHAN.